quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Atividade de Natal

Olá amigos leitores,

A dica de hoje já está no clima natalino!!! Um cartão com pareamento de formas geométricas.
Vocês vão precisar apenas de:

- Metade de uma folha de cartolina amarela ou qualquer outra cor;
- Papel dobradura na cor verde para fazer a árvore de Natal e um pedaço de marrom para o vaso;
- Um pedaço de papel laminado dourado para fazer a estrela;
- Durex colorido para acabamento (utilizei a cor vermelha);
- Retalhos de EVA colorido para confeccionar as formas geométricas;
- Pedaços de velcro;
- Cola quente para fixar as formas geométricas no velcro.

Use sua criatividade e invente outras formas!

Fonte:  https://www.facebook.com/pages/Atividades-para-autistas/168722373271504?pnref=story


sábado, 8 de novembro de 2014

Dica: como aproveitar a ecolalia (fala repetitiva) da criança


Fonte: https://www.facebook.com/amigosdosanjosazuis/photos/a.570343899727317.1073741829.570329599728747/659024047525968/?type=1&theater

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Dicas para melhor comunicação com afásicos




A forma que usamos para nos comunicar com o paciente afásico pode ser determinante para a melhora do quadro e da auto estima do mesmo. Por isso fique atento a estas importantes dicas para facilitar e melhorar sua comunicação com eles. Essas dicas também servem para familiares e amigos:

Não deve falar com ele em locais com muito ruído;

Não deve falar como se ele não estivesse presente;

Não deve gritar ou falar mais alto: O afásico ouve, pode é não compreender;

Não deve demonstrar pressa, dê-lhe tempo para falar e espere pacientemente pela resposta;

Não se deve interromper o afásico quando ele está falando;

Não deixe de lhe pedir opinião sobre os assuntos que lhe dizem respeito, tente que ele participe nas conversas de família;

Numa conversa, deve falar uma pessoa de cada vez e não devem ser feitas muitas perguntas ao mesmo tempo;

Não deve falar com o afásico como se estivesse falando com uma criança. Fale da mesma forma que falava antes da afasia;

Não deve corrigir sistematicamente (sempre), tente perceber primeiro o que o afásico quer lhe dizer;

 Ao invés de dizer a palavra que sabe que ele vai dizer, não a diga, dê apenas uma pequena ajuda e deixe-o dizer por si;

Falar com o afásico de forma clara, pausada e simpática, olhando sempre para ele;

Deve-se dizer sempre o nome de todos os objetos que lhe são dados, de uma forma bastante clara;

Deve-se tratar o afásico de acordo com a idade que tem. Simplificar a linguagem optando por frases mais curtas e nunca se deve usar diminutivos ou neologismos e estereótipos que o doente use;

Ao longo do tratamento é normal os afásicos apresentarem erros constantes, mas deve-se manter a calma e nunca exigir as palavras;

Quando se mostrar cansado, deve-se deixá-lo descansar e mudar de atividade;

Deve-se falar com o afásico de uma forma realista, não minimizando o problema. Deve-se ser o mais otimista possível, valorizando todos os progressos e evoluções conseguidos;

Deve-se procurar entender sempre o que o doente quer dizer ou fazer. Deve-se usar, sempre que possível, perguntas curtas diretas que possam ser respondidas com "sim" e "não";

Quando existe perseveração nas respostas ou atitudes, deve-se desviar a atenção e o interesse do afásico para outro assunto. Fazer o mesmo perante reações de riso ou choro inapropriado;

Deve-se encorajar sempre a participação do afásico nas atividades familiares, para que não se sinta isolado;

Deixar sempre o afásico tentar fazer as coisas sozinho. A autonomia e a independência são fatores importantes para recuperar a sua auto-estima.

                                                                                           
                                                                                         Texto fornecido pela Fgª Bibiana Del Bianco


 

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Dica de atividade: leitura e escrita



 Olá leitores do blog,

A dica de hoje chama-se: "Jogo das figuras e palavras".
  
Material necessário: 1 caixa de sapatos com a tampa do tipo abre/fecha;
                                     4 tampas de garrafas de leite;
                                     Fichas circulares (do tamanho das tampas)  que podem ser confeccionadas com cartolina ou papel cartão;
                                     1 pote plástico com tampa pequenos;
                                      Figuras pequenas com palavras dissílabas;
                                      Letras coloridas para formar as palavras "Figuras" e "Palavras".
                                      Cola quente;
                                      Cola branca;
                                      Tesoura;
                                      Estilete.

Como fazer:  Cole as 4 tampas de leite com cola quente na caixa conforme mostra a figura. Escreva as letras do alfabeto nos círculos (pelo menos 3 de cada letra do alfabeto). Com o estilete recorte um orifício para encaixar o pote com tampa. Recorte pequenas figuras com palavras de até 4 letras e guarde no pote já fixado na caixa. Cole as letras das palavras 'figuras' e 'palavras' para enfeitar a caixa.

Como jogar: A criança deverá pegar uma figura do pote e posteriormente encontrar as fichas das letras correspondentes que deverão ser guardadas dentro da caixa. Com ou sem a orientação da terapeuta.

Indicação: Pacientes com alterações de leitura e escrita, alterações  fonêmicas (pode-se trabalhar os pares mínimos ou as trocas de cada indivíduo), assim como categorias semânticas. Além de estimulação da linguagem oral.
                                    
         

terça-feira, 23 de setembro de 2014




Fonoaudiologia

Fgª Alessandra Del Vecchio
 CRFa 12227


Fonoaudióloga clínica especialista em linguagem pelo CFFa


Alterações na Fala

Alterações na leitura e escrita

Dificuldades de aprendizagem

Assessoria e consultoria escolar

Reorganização neurológica

Reabilitação da fala do deficiente auditivo
Problemas de dicção: trabalho com profissionais que usam a voz

Tratamento miofuncional (acompanhamento em casos ortodônticos, apnéia, ronco e outros)

Assessoria e consultoria escolar



Tel: (11) 2204-0026 ou (11) 9.9759-7230

Atendimento c/ hora marcada

COMUNIQUE-SE BEM!
                              

Sugestão de atividade: Caixa Sensorial



A dica de hoje é uma Caixa Sensorial. Muito útil na terapia com pacientes com necessidades especiais: autistas, paralisia cerebral, síndrome de down, entre outros.. Trata-se de um material simples e de baixo custo que pode ser indicado até mesmo para os pais confeccionarem e usarem com seus filhos em casa. Podemos trabalhar aspectos sensoriais, pois, são várias as texturas que podemos incluir nesta caixa.

Você vai precisar de:

- Placas de papelão;
- Plástico bolha no tamanho e formato das placas de papelão;
- EVA com as cores primárias: azul, amarelo, vermelho, verde.
- Palitos de sorvete;
- Um pedaço de lixa para parede:
- Barbante;
- Durex colorido (vermelho, azul e verde)
- Algodão;
- Grãos de lentilha;
- Lã colorida;
- Cola branca.
- Uma caixa de papelão pequena encapada.

Como fazer:

Em cada placa de papelão, cole os materiais com cola branca. Ao usar grãos, passe uma camada de cola branca por cima para que não se soltem.
Deixe secar e guarde na caixa de papelão encapada de acordo com a sua criatividade ou com figuras de preferência da criança.
Use a  sua criatividade e acrescente outras texturas.






segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Trocas de fonemas





  Se o seu filho fala ‘catorro’ ao invés de cachorro ou ‘plato’ para prato, saiba que essa fala não deve ser incentivada pelo adulto.

   Falar errado na infância não é ‘bonitinho’. Aos cinco anos de idade a criança já está apta para pronunciar todos os sons (fonemas) da fala corretamente. Abaixo segue uma tabela com a idade e os fonemas que a criança já é capaz de produzir:

Até 3 anos: /p/, /b/, /t/, /d/, /k/ como de 'quero', /g/, /m/, /n/, /nh/ /f/, /v/.
Até os 4 anos: /s/, /z/, /ch/, /j/, /tch/ como de 'tia', /dj/ como em 'dia', /r/ como em 'areia', /R/ de 'carro' e {R} como em porta.
Até os 4 anos e 6 meses: Todos os encontros consonantais cc(r)v e cc(l)v como em 'prato' e 'planta'.
 

  Portanto, fiquem atentos quanto a quantidade de vezes que esses erros estão ocorrendo e também a frequência. Se a criança está trocando um som por outro, por exemplo, casa/capa  ou se está omitindo algum som, como prato/pato.

  A fala do adulto é o modelo da criança que está adquirindo linguagem. Portanto, é importante falar corretamente com a criança e não enfatizar o erro, repetindo-o. Quando a criança falar 'errado' , apenas repita imediatamente o modelo correto.
  Essas alterações de fala são denominadas dislalias e o fonoaudiólogo é o profissional indicado para tratar a fala da criança. Tais trocas, quando não tratadas precocemente podem vir a influenciar também na escrita da criança.
   Portanto, fique atento e procure o profissional habilitado!



sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Campanha sobre amamentação dos Conselhos Federal e Regionais de Fonoaudiologia

Bebê sarado mama no peito!
Hoje, 1º de agosto, Dia Mundial do Aleitamento Materno, o Sistema de Conselhos Federal e Regionais de Fonoaudiologia lança o vídeo de divulgação da campanha. Afinal de contas: Promover a amamentação do bebê de risco é papel do Fonoaudiólogo.



sexta-feira, 18 de julho de 2014

Quadro de rotina diária


Olá leitores do blog,


   A dica de hoje é esse quadro de rotina diária. Costumo utilizar com pacientes com dificuldades de linguagem e/ou noção temporal e espacial.
   Foi confeccionado numa folha grande de papel canson. E os símbolos são impressos e outros desenhei juntamente com o paciente, de acordo com a sua rotina na casa e na escola. Dessa maneira, o terapeuta pode criar símbolos personalizados de acordo com cada paciente e sua necessidade. A utilização de fotos também é interessante.
  Espero que tenham gostado da dica de hoje. Até a próxima!

domingo, 25 de maio de 2014

Atividades para terapia de linguagem

Olá caros leitores...

  Hoje eu vou postar dois exemplos de atividades que podem ser realizadas na terapia de linguagem, principalmente, nos casos de autismo, paralisia cerebral ou deficiência intelectual.
  
   A primeira foto trata-se de um calendário confeccionado em EVA. Muito colorido para chamar
a atenção do paciente. Esse calendário foi elaborado juntamente com meu paciente, portador da síndrome de Asperger. Com este material estamos trabalhando diversos conceitos como: noção temporal, espacial, dias do mês e da semana, sentimentos, cores, entre outros. Meu paciente escolheu intitulá-lo de "Super Calendário" e nossas terapias estão sendo muito produtivas.



   Abaixo segue outro exemplo de um mural sobre Rotina. Também confeccionado em EVA e com os símbolos de comunicação alternativa PECS - Sistema de Comunicação por Figuras (Picture Exchange Communication System. No caso, selecionei apenas os símbolos que o paciente em questão utiliza durante o seu dia na escola, como por exemplo: banheiro, fonoterapia, teatro, lavar as mãos, escovar os dentes, beber água, entre outros. Utilizei velcro para fixar os símbolos, de modo que posso trocá-los de acordo com a necessidade de cada paciente. Essa também tem sido uma atividade interessante e produtiva, até com aqueles pacientes que conseguem se comunicar oralmente, pois, eles tem interesse em acrescentar outros símbolos.



    Espero que tenham gostado das dicas de hoje. Até a próxima!

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Dicas de higiene vocal adulto



DICAS DE HIGIENE VOCAL






                                                          Fgª Alessandra Cajueiro


  •      Evite falar alto, pois, isso promove um forte atrito entre as pregas vocais;

  •      Evitar competir com outros sons do ambiente;

  •     Se aproxime das pessoas para chamá-las ou para conversar com os amigos;

  •    Evite beber água gelada e quando o fizer beba devagar; 

  •   Bebidas alcoólicas em excesso assim como cigarro podem ser prejudiciais para a

         saúde vocal;

  • Coma alimentos com fibras e frutas como maçã, uva passa, pois, são alimentos adstringentes e promovem uma limpeza natural das pregas vocais; 

  •  Beba muita água, em doses homeopáticas ao longo do dia;

  • Durante a educação física, evite falar, o esforço físico causa um atrito muito grande entre as pregas vocais ao falar durante a prática de exercícios;

  • Em ambientes ruidosos como festas, se aproxime das pessoas para falar;

  • Não escute TV num volume muito alto, pois você terá que falar mais alto para ser ouvido;

  • Evite usar sapatos com saltos muito altos e roupas apertadas na região da cintura e pescoço, pois, podem prejudicar sua respiração e conseqüentemente sua voz;

  • Pastilhas, mel ou limão apenas mascaram o problema vocal, não resolvem;
  •    Não pigarreie, para evitar o atrito das pregas vocais, quando tiver aquela sensação de "garganta coçando" engula bastante saliva com força;
  •   Quando tomar sorvete, faça isso bem devagar, para evitar o choque térmico na garganta;

  • Evite frequentar ambientes poluídos, principalmente se tiver alergia respiratória, cuidado com o ar condicionado;
  •   Evite o contato com o pó de giz;

  • Fale devagar e articule bem as palavras, respire pelo nariz, a respiração é muito importante para a voz;

  • Faça um aquecimento vocal, antes da prática de canto, ou antes, de utilizar a voz em público;
  •   Quando ministrar palestras, projete a voz para que as pessoas que estão no fundo da sala possam escutá-lo, você pode fazer isso sem gritar.

  • Não deixe de procurar um profissional habilitado, caso a sua rouquidão persista por muito tempo, rouquidão por mais de 15 dias não é normal;

  • Siga corretamente as orientações de seu fonoaudiólogo e/ou otorrinolaringologista.